Você está aqui: Capa > Conceito

Conceito

Segundo a orientação de seus líderes espirituais, o Vrinda segue uma série de preceitos ligados a alimentação, direta ou indiretamente, que visam tanto a promoção da saúde do ser hmensagem_gurumaharajumano de forma integral, mas também cuidar da Mãe Terra e de seus recursos maravilhosos.
Abaixo temos alguns desses princípios.
Inspirado por Srila B.A. Paramadvaiti Swami, fundador do VRINDA.

VÍCIOS

Perigos para você e para o mundo

Não utilizar\consumir açúcar branco

Resulta de diversos processos químicos de purificação e uso de aditivos que eliminam quase por completo todos os nutrientes encontrados em sua matéria prima, a cana de açúcar. É uma substância altamente impura que é composta principalmente por cristais de sacarose (glicose + frutose).
Devido a esse elevado grau de impureza o corpo humano absorve o açúcar consumido rapidamente e isso faz com que haja uma rápida elevação nos níveis de glicemia na corrente sanguínea. Para reduzir a quantidade de açúcar no sangue o organismo reage liberando insulina na corrente sanguínea. A insulina é o  hormônio responsável por levar a glicose para o interior das células do corpo onde pode ser utilizada para produzir energia ou ser acumulada para usos futuro (acumulação de gordura).
Em excesso a insulina reduz as taxas de glicemia de maneira tão rápida que abre o apetite e a pessoa come ainda mais estimulando a obesidade. Com o passar dos anos e o consumo constante de elevadas quantidades de açúcar  o organismo torna-se resistente a insulina e desenvolve-se a diabetes. Além disso o consumo de açúcar pode gerar vício uma vez que ele é associado a liberação de dopamina e serotonina, substâncias produzidas no cérebro que estimulam a sensação de prazer e bem estar.
Destaca-se também que algumas marcas de açúcar utilizam no seu refinamento cinzas purificadas obtidas a partir de ossos de animais. Em muitos rótulos de produtos que consumimos observa-se na lista de ingredientes o uso do açúcar invertido. Esse tipo de açúcar apresenta a mesma composição química (glicose e frutose) que o açúcar comum, porém no açúcar invertido as moléculas estão organizadas de maneira diferente. Isso dá ao açúcar invertido um maior poder adoçante. Esse  produto é usado industrialmente em bolos, balas, iogurtes, pães e outros  pois ele proporciona maior umectância, sem deixar que o produto resseque ou cristalize.

+ Para saber mais: Leia Sugar Blues de William Dufty publicado em 1975

Não utilizar\consumir farinha branca e arroz branco 

Tanto o arroz como a farinha branca passam por processos químicos de refino que eliminam praticamente todos os nutriente da matéria prima original e acrescenta aditivos químicos clarificantes. O grão de arroz é constituído de casca, película, germe e endosperma. As vitaminas e os minerais estão concentrados na película e no germe. porém o processo de refinação remove essas estruturas do grão, restando apenas o endosperma, que contém basicamente amido. No organismo esse amido transforma-se em glicose que em excesso atua contribui para o desenvolvimento de diabetes e dificulta a absorção de outros nutrientes. Já a farinha branca é fonte de carboidratos, proteínas e quase não possui gordura, porém não contém fibras, o que acaba dificultando o funcionamento do intestino e causa o aumento do peso.

Não utilizar\consumir transgênicos

Alimentos que tiveram seus genes modificados em laboratório recebendo genes estranhos, de qualquer outro ser vivo, inseridos em seu código genético afim de atribuir a eles características que não poderiam ser incorporadas de forma natural. Os transgênicos causam desequilíbrios na cadeia alimentar pois não são eliminados pelo processo de seleção natural. Eles são capazes de resistir as pragas e podem ocasionar a morte de populações benéficas ao ser humano, como por exemplo, abelhas, minhocas e outros animais e espécies de plantas.
Ainda não se pode saber ao certo quais são serão os efeitos colaterais de uma ingestão prolongada deste tipo de alimento. Porém todas as pesquisas feitas até agora mostraram alterações nos organismos dos seres que ingeriram alimentos transgênicos.
+ Para saber mais: Campanha Pró Orgânicos da Revolução da Colher http://www.facebook.com/CampanhaProOrganicos2013

Não utilizar\consumir sal iodado

O sal de cozinha é obtido a partir da água do mar e através do processo de refinamento e clareamento os nutrientes minerais são perdidos e há o acréscimo iodo e  conservantes que em sua maioria são nocivos a saúde. O excesso de iodo no organismo está associado a casos de Tireoidite e Hipotireoidismo. Essa doença ocorre quando o organismo produz anticorpos contra ele mesmo(a tireóide) surgindo uma inflamação crônica que compromete o funcionamento da glândula tireóide. A ingestão de iodo em excesso durante um período prolongado, acima de três anos, pode provocar o aumento da tireoidite crônica entre as pessoas que têm predisposição genética.
Em 1998, uma resolução da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aumentou a proporção de iodo no sal. Passou de 40-60 g/kg (microgramas por quilo) para 40-100 g/kg. Em 2003, após estudos comprovarem que havia excesso de iodo na urina da população, os índices foram reduzidos para 20-60 g/kg. A carência de iodo no organismo é considerada um problema de saúde pública visto que pode causar doenças como bócio e ocasionar o nascimento de crianças com rebaixamento mental e surdez de nascimento.
O sal marinho é uma alternativa saudável para o sal iodado visto que não sofre o processo de refinamento ele é mais escuro e seu sabor é menos salgado que o refinado.
Pode ser encontrado na Zona Cerealista em São Paulo e empórios naturais em geral.

Não utilizar\consumir óleos não saudáveis 

A fritura transforma a gordura insaturada em gordura saturada, que pode causar diversas doenças quando consumida em excesso. Além disso, a fritura é capaz de produzir uma gordura chamada trans, que está diretamente relacionada com o aumento de doenças cardiovasculares, aumento da pressão arterial, má absorção de nutrientes.  O óleo utilizado deve ser aquecido o mínimo de tempo possível e nunca reutilizado. A cada reutilização a produção de gordura trans duplica e ocorre o formação formação de uma substância cancerígena chamada acroleína.
Devido a isso deve evitar o consumo de frituras principalmente em ambientes comerciais onde a prática de reutilização do óleo de fritura não é conhecida. Além disso quando o óleo de cozinha é descartado de maneira inadequada  ele acaba atingido rios e córregos e por ele não se misturar com a água forma uma película superficial que impede a oxigenação da água colocando em risco a vida das espécies de animais que vivem ali.
Opções: óleo de girassol, de coco e de soja da marca Leve (por não ser transgênico)

Não utilizar\consumir glutamato monossódico e aspartame 

Encontrado em quase todos os alimentos industrializados o glutamato monossódico deixa os alimentos processados mais saborosos. Assim como o aspartame o glutamato atua como uma excito-toxina que super excita as células do organismo no momento de seu consumo elevado.  Estudos tem mostrado que o corpo usa o glutamato, um aminoácido, como um transmissor de impulsos nervosos no cérebro e que há também tecidos que respondem ao glutamato em outras partes do corpo.
As anomalias no funcionamento dos receptores de glutamato tem sido associadas a certas enfermidades neurológicas, disfunções de aprendizado, Mal de Alzheimer e distúrbios caracterizado por movimentos musculares anormais espontâneos e irregulares.
Quando um excesso de excito-toxinas de origem alimentar, como glutamato,  caseinato de sódio (caseína) e aspartato do aspartame, são consumidas, os receptores glutâmicos são super-estimulados, produzindo arritmia cardíaca. Quando o estoque de magnésio está baixo, como vemos em atletas, os receptores glutâmicos são muito sensíveis e mesmo níveis pequenos destas excito-toxinas podem resultar em arritmias cardíacas e morte.
 

Evitar utilizar\consumir caseína   

    A caseína é a principal proteína encontrada no leite.  Ela corresponde a aproximadamente 80% da proteína encontrada no leite de vaca. A caseína é um aglutinante poderoso, um polímero usado para fazer plásticos, e uma cola ótima para mobílias resistentes ou para colar rótulos em vidro.
É usada como aglutinante em milhares de alimentos industrializados, como “caseinato de alguma coisa”. No corpo humano essa substância deixa o meio ácido causando distúrbios metabólicos que contribuem para o aparecimento de câncer no fígado, além disso aumenta os níveis de colesterol.

Não utilizar Microondas

Estudos comparativos entre aquecimento de alimentos em microondas e forno convencional mostram que aquecer alimentos em microondas é muito prejudicial à saúde. Pesquisas relatam uma grande redução do valor nutricional dos alimentos aquecidos uma vez que a estrutura química dos alimentos é alterada e muitas vezes formam-se novos compostos, até mesmo desconhecidos na natureza. Além disso, há relatos de que a exposição à radiação de microondas causa efeitos como perda de memória, dificuldade de concentração e instabilidade emocional.

Evitar cozinhar em alumínio 

As panelas de alumínio liberam quantidades variáveis de alumínio nos alimentos. Diversos fatores como acidez e alcalinidade dos alimentos podem interferir nessa liberação durante o cozimento. Nos utensílios de alumínio existe uma camada superficial formada por óxido de alumínio essa camada dificulta a passagem do alumínio para os alimentos, porém ao utilizar esponjas de aço (Bombril) na limpeza desses objetos essa superfície é removida e aumenta a passagem de alumínio para o alimento.
O mecanismo de toxicidade do alumínio é que ele se liga a enzimas e proteínas no lugar de outros nutrientes, causando desregulagens no metabolismo das células e do organismo como um todo. Alguns sintomas de intoxicação leve por alumínio incluem: diminuição da capacidade intelectual, esquecimento fácil, dificuldade de concentração e perda de massa óssea. O alumínio é uma substância neurotóxica comprovadamente associada a doenças como o Mal de Alzheimer e Doença de Parkinson.
Uma alternativa a esses utensílios seria o uso de panelas de vidro, inox, barro, ou ferro.

Evitar utilizar plásticos 

Plásticos tem como matéria prima o petróleo que é uma fonte de energia não renovável e causa diversos problemas de saúde porque quando queimado em incêndios acidentais ou mesmo em processo industrial libera na atmosfera substâncias muito tóxicas a saúde.  Por serem muito resistentes e duráveis são prejudiciais para o meio ambiente pois podem levar mais de 500 anos para serem totalmente degradados pela natureza.
Objetos plásticos são uma das principais causas de entupimento do sistema de captação de águas da chuva contribuindo para alagamentos e enchentes. No meio ambiente marinho causa a morte de muitos animais que confundem sacolas plásticas com alimentos, o que causa a obstrução do trato gastrointestinal, impedindo a passagem de outros alimentos.
Opções: Utilizar embalagens de papel sempre que possível, evitar comprar qualquer utensílio de plástico buscando sempre os feitos de madeira, papel, metais como Inox, louça, etc.

Minimizar o desperdício de recursos naturais 

A cada dia os recursos fornecidos pela natureza estão se tornando mais escassos.  A falta de cuidado no uso de recursos como água, luz elétrica e alimentos faz com que a extração e produção desses recursos seja cada vez maior contudo com o aumento da população e do consumo fica mais difícil para o meio ambiente recuperar o que lhe foi retirado.
Opções: escolha bem os produtos, aquele que tem menos embalagem, que prejudica menos a Mãe Terra. Se lembre que no transporte do milho, plástico e tantos outros artigos se gastam muitos recursos naturais. Se ocupa muita água na indústria da carne. Seja mais consciente.

Evitar consumir remédios alopáticos (sem ter buscado remédios naturais) 

Vendidos em farmácias e  utilizados pela medicina tradicional, são produzidos em escala industrial (indústria farmacêutica) ou farmácias de manipulação.  Esses remédios podem apresentar substâncias muito tóxicas ao organismo e causam inumeráveis efeitos colaterais que contribuem muitas vezes para o aparecimento de outros problemas de saúde por vezes até mais graves do que o problema inicial. Uma pesquisa feita nos EUA verificou que efeitos colaterais são responsáveis por maior tempo de internação de pacientes, maiores gastos com saúde e mortalidade atribuída. Devido a isso muitos países proíbem a comercialização de determinados medicamentos contudo no momento em que uma droga é proibida nos países industriais avançados, as companhias farmacêuticas multinacionais simplesmente passam a vendê-la em alguma outra parte de seu mercado mundial.

Um comentário

  1. Parabéns pelo site e seu conteúdo !! Namastê !!

Deixe uma resposta para Marcelo Portella Mitidieri Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top